Tontura ou Labirintite?

Tontura ou Labirintite?

September 30, 2017

Saiba o que é e como as plantas medicinais podem te ajudar

    

 

 

     A labirintite é uma doença caracterizada por um problema no ouvido interno que afeta o labirinto e suas estruturas responsáveis pela audição (cóclea) e equilíbrio (vestíbulo).

      Os órgãos do ouvido interno ficam inflamados ou irritados, fazendo com que os nervos do vestíbulo enviem sinais incorretos ao cérebro que, por sua vez, pode ficar aturdido com a sensação de que o corpo está em movimento. A visão, não detecta esse movimento, o que leva a confusão entre os sinais recebidos pelo cérebro. Isso consequentemente resulta na perda das noções de equilíbrio.

      Pessoas com a enfermidade, sentem fortes tonturas acompanhadas de náuseas, sudorese, perda da audição e outros sintomas. Embora as causas da labirintite ainda não sejam muito claras, infecções e inflamações podem ser fatores que desencadeiam as crises. Dentre elas, otite e resfriado. Outros fatores de risco estão representados por doenças neurológicas, tumores, alterações genéticas, tabagismo, hipertensão, entre outros.

       As crises de labirintite podem surgir de repente e sua duração pode oscilar entre minutos ou horas, chegando até mesmo há dias, em sua fase aguda. Em episódios crônicos, as tonturas podem acontecer com determinada frequência.

         

Abaixo, trazemos uma seleção de plantas medicinais que podem auxiliar no tratamento da labirintite:

 

AÇAFRÃO-DA-TERRA (Curcuma longa) – Ação anti-histamínica, anti-inflamatória, protetora do sistema nervoso e previne doenças neurológicas.

 

OLGUINHA (Tanacetum parthenium) – Ação anti-histamínica, anti-inflamatória, analgésica. Eficiente contra enxaquecas e dores de cabeça.

 

HORTELÃ (Mentha piperita)– Controle das náuseas e vômitos pela tontura

 

GENGIBRE (Zingiber oficinalle) – Controle das náuseas e vômitos pela tontura e ação anti-inflamatória

 

TIRIRICA (Cyperus sp.– Ação semelhante à da cortisona. Combate enjoos e protege o sistema nervoso.

 

GINKGO BILOBA – Melhora a irrigação sanguínea na região encefálica. Aumenta a oxigenação cerebral. Combate dores de cabeça, tonturas.

 

CHAPÉU-DE-COURO (Echinodorus grandiflorus) – Aumenta a irrigação sanguínea e a oxigenação na região cerebral. Ação anti-inflamatória.

 

SERRALHA-BRAVA  (Sonchus asper) – Ação protetora do cérebro e do sistema nervoso central. Potente ação anti-inflamatória.

 

CARDO-MARIANO (Sillybum marianum– Protetor cerebral, agindo positivamente sobre o sistema nervoso. Potente ação anti-inflamatória. Em associação ao chapéu-de-couro traz excelentes resultados nos casos de labirintite.

 

 COLONIA (Alpinia zerunbet) – Calmante, ansiolítico e relaxante.

 

MULUNGÚ (Erithryna sp.) – Calmante, ansiolítico, relaxante muscular e facilitador do sono.

 

VALERIANA (Valeriana officinales) – Ansiolítico, calmante e facilitador do sono

 

Vale lembrar que os uso de plantas medicinais deve ser feito com responsabilidade e segurança,

com a identificação correta da planta e da parte a ser utilizada, além da dosagem adequada a cada pessoa. Saiba mais sobre as plantas indicadas clicando em suas imagens.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags